Estou na Europa!

Olá colegas.

O post é um pouco diferente, entra na categoria de desabafos.

Estou “curtindo” minhas férias do trabalho cursando um general english em Galway (Irlanda). A ideia surgiu quando minha namorada começou com umas crises de querer viajar, de sugerir que poderíamos fazer alguma viagem pelo Brasil para alguma outra região turística porém como não sou muito chegado em turismo, disse que só aceitaria gastar dinheiro com esse tipo de experiência caso agregasse na minha carreira e foi então que a ideia de realizar um intercambio surgiu pois eu nunca tive uma prova real se sabia ou não me virar na lingua inglesa. Na hora eu não dei muita atenção pois achei que era só necessidade de conversar porém minha namorada seguiu em frente e levantou todas as informações necessárias (custos) e aqui estamos, realizando um curso de general english (eu) e de leadership (ela, pois já possui ingles avançado).

Após 2 semanas tenho algumas conclusões que gostaria de registrar e a primeira é que o Brasil (ou certas regiões) não perde em nada para a Europa (para o meu estilo de vida). Vou usar o exemplo da minha cidade (Campinas – SP) que possui conveniência 24h, opções de lazer, gastronomia, cultura, oportunidades para desenvolvimento profissional e o principal, você precisa de no máximo 1 hora (fora do horário de rush) para estar em São Paulo caso precise de algum muito especifico que não encontrou em Campinas.

O que levo de experiencia é que aquela vontade de morar e trabalhar no exterior diminuiu e muito, claro que caso seja uma oportunidade de crescer é algo que seria pensado com carinho porém trocar “elas por elas” apenas para sair do Brasil, em minha opinião deixou de ser prioridade. Sim, existem problemas em Campinas relacionados a segurança e outras coisas porém não é algo que tenha me afetado muito. Pode parecer um pouco mesquinho também olhar para meu país levantando os pontos apenas da cidade que moro (que é bem desenvolvida) porém acho bem complexo analisar outras situações sem vivenciar.

Consolidação da estratégia de opções 2019-06

Dessa vez me recusei a pagar a corretagem inaceitável de 0,5% SOBRE O VOLUME TOTAL negociado e zerei minhas posições na sexta feira 12/07/2019 que foi o ultimo dia de negociação. A ideia da estratégia atual é levar a posição até o vencimento se a ação estiver abaixo do strike (3% ou 4% e caso esteja acima no ultimo dia de negociação eu zero a posição assumindo o prejuízo na opção porém “entendendo” que a valorização do papel também é considerada lucro.

Vamos para as contas.

As operações foram basicamente

Compra de 1000 BBDC4 por R$ 36,30, venda da opção com strike de R$ 36,61 por R$ 1,03 e recompra da opção por R$ 2,00 (ação fechou o dia valendo R$ 38,04).

Compra de 3000 CMIG4 por R$ 14,45, venda da opção com strike de R$ 14,45 por R$ 0,31 e recompra da opção por R$ 0,42 (ação fechou o dia valendo R$ 15,15).

Compra de 2500 CMIG4 por R$ 14,50 venda da opção com strike de R$ 15,05 por R$ 0,30 e recompra da opção por R$ 0,16 (ação fechou o dia valendo R$ 15,15).

Resumindo:

A primeira operação deu um prejuízo de R$ 0,93 (-2,6%) por ação na venda/recompra da opção e lucro de R$ 0,77 (+2,1%) no final da operação.

A segunda operação deu um prejuízo de R$ 0,05 (-0,3%) por ação na venda/recompra da opção e lucro de R$ 0,65 (+4,5%) no final da operação.

A terceira operação deu um lucro de R$ 0,14 (+1,0%) por ação na venda/recompra da opção e lucro de R$ 0,79 (+5,4%) no final da operação.

No final das contas tive 4,1% de lucro bruto nas operações ou 3,5% liquido pois pagaria 15% sobre o lucro se eu vendesse todas as ações segunda feira porém devo vender apenas R$ 20.000,00 para “lavar o dinheiro” sem pagar IR além de poder abater o “prejuízo” das opções em meses futuros.

É isso, um ótimo resultado para compensar o péssimo mês anterior.

Fechamento Junho 2019: R$ 174.804,94 (+R$ 6.548,80 ou + 3,89%)

Junho chegou ao fim, foi um mês legal financeiramente, conseguimos aumentar acima da famosa meta dos 2% ao mês porém nada em especial para comentar sobre o mês… finalmente terminei de ler o livro “Sapiens: Uma Breve História da Humanidade”, pensa em um livro grande… ainda assim achei muito interessante… meu recorde pessoal de livros está para ser batido (acho que foram 3, em um dos anos da faculdade tiver que ler “O monge e o executivo” para uma matéria de sociologia e acabei lendo os outros 2 livros da série).

Lançamentos de junho já realizados, lançamentos “OK” após ser exercido fica “fácil” conseguir prêmios interessantes (lembra da famosa meta de 2%?) e devo seguir com a estratégia…

A “alta” variação mensal foi devido ao adiantamento do décimo terceiro e os prêmios dos lançamentos de opções realizados.


Estive pensando sobre o gráfico que compara minha “renda passiva” e meus custos “básicos” porém a duvida seria, o que é uma despesa “básica”? tirando moradia os custos com alimentação/saúde são basicamente pagos via benefícios do meu atual trabalho, devo refletir mais um pouco para gerar essa visão.