Meu recorde de livros anual está prestes a ser batido!

Sempre tive vontade de ler livros porém sempre achei o custo beneficio ruim, com a aquisição de um leitor digital acredito que exista uma melhora do custo beneficio.

Por que fazemos o que fazemos

Leitura rápida porém enjoativa, não gerou muito conhecimento, classificaria como o famoso auto ajuda onde o livro tenta mostrar algumas situações para que a pessoa consiga sair com alguma perspectiva de melhora. Não tem muito o que comentar, acho o autor um orador fantástico e confesso que li o livro basicamente por conta do autor.

Como mentir com estatística/

Leitura rápida e bem agradável, não chega a gerar muito conhecimento porém foi possível abrir os olhos sobre como podemos ser influenciados por gráficos ou títulos tendenciosos. Por exemplo, se falarmos que o salário médio de uma pessoa de determinada área é de R$ 1.000,00 e falarmos que a empresa A tem salário médio de R$ 2.500,00 significaria algo bom ou ruim?

A resposta “correta” seria que depende. Depende de quem compõem essa amostra, digamos que essa amostra que gerou a média de R$ 2.500,00 é composta por dois colaboradores, um proprietário é o proprietário que tem salário de R$ 4500,00 e o outro é um contratado que tem salário de R$ 500,00. Entendem como a informação pode ser tendenciosa?

Sapiens: uma breve história da humanidade

Leitura lenta, se tivesse que resumir o livro em uma palavra seria FANTÁSTICO. Muita coisa que é comentada no livro bateu exatamente com o que eu penso da vida, coisas que podem soar como preconceituosas que eu prefiro classificar como “lógica biológica” um exemplo seria uma possivel explicação para certas pessoas serem “atraídas pelo oposto” onde biologicamente falando seria “corpo ” entendendo que a característica X é interessante e não existe no ser atual então tenta a gerar um descendente com essa característica.

Vale a leitura!

Atualmente estou com outros livros na fila, gostaria de fechar o ano com 6 leituras, talvez adicionar essa informação ao fechamento mensal.

Fechamento Julho 2019: R$ 175.813,18 (+R$ 1.008,24 ou + 0,58%)

O mês de julho teve uma pequena valorização que poderia ter sido algo na casa dos R$ 10.000,00 caso não tivesse inventando a grande viagem de intercambio. A experiencia foi interessante, se pudesse repetir com toda certeza NÃO repetiria… o custo de brincar de falar inglês por 20 dias foi de aproximadamente R$ 13.000,00 por pessoa… de toda forma vamos em frente.

Os números de “renda passiva” cresceram pois o valor alocado está maior, infelizmente os ativos tiveram uma queda expressiva o que influenciou no resultado também. Ao menos fechamos o mês no positivo.

A ideia dos custos “básicos” ainda está sendo trabalhada, o que é uma despesa “básica”?

Estou na Europa!

Olá colegas.

O post é um pouco diferente, entra na categoria de desabafos.

Estou “curtindo” minhas férias do trabalho cursando um general english em Galway (Irlanda). A ideia surgiu quando minha namorada começou com umas crises de querer viajar, de sugerir que poderíamos fazer alguma viagem pelo Brasil para alguma outra região turística porém como não sou muito chegado em turismo, disse que só aceitaria gastar dinheiro com esse tipo de experiência caso agregasse na minha carreira e foi então que a ideia de realizar um intercambio surgiu pois eu nunca tive uma prova real se sabia ou não me virar na lingua inglesa. Na hora eu não dei muita atenção pois achei que era só necessidade de conversar porém minha namorada seguiu em frente e levantou todas as informações necessárias (custos) e aqui estamos, realizando um curso de general english (eu) e de leadership (ela, pois já possui ingles avançado).

Após 2 semanas tenho algumas conclusões que gostaria de registrar e a primeira é que o Brasil (ou certas regiões) não perde em nada para a Europa (para o meu estilo de vida). Vou usar o exemplo da minha cidade (Campinas – SP) que possui conveniência 24h, opções de lazer, gastronomia, cultura, oportunidades para desenvolvimento profissional e o principal, você precisa de no máximo 1 hora (fora do horário de rush) para estar em São Paulo caso precise de algum muito especifico que não encontrou em Campinas.

O que levo de experiencia é que aquela vontade de morar e trabalhar no exterior diminuiu e muito, claro que caso seja uma oportunidade de crescer é algo que seria pensado com carinho porém trocar “elas por elas” apenas para sair do Brasil, em minha opinião deixou de ser prioridade. Sim, existem problemas em Campinas relacionados a segurança e outras coisas porém não é algo que tenha me afetado muito. Pode parecer um pouco mesquinho também olhar para meu país levantando os pontos apenas da cidade que moro (que é bem desenvolvida) porém acho bem complexo analisar outras situações sem vivenciar.

Consolidação da estratégia de opções 2019-06

Dessa vez me recusei a pagar a corretagem inaceitável de 0,5% SOBRE O VOLUME TOTAL negociado e zerei minhas posições na sexta feira 12/07/2019 que foi o ultimo dia de negociação. A ideia da estratégia atual é levar a posição até o vencimento se a ação estiver abaixo do strike (3% ou 4% e caso esteja acima no ultimo dia de negociação eu zero a posição assumindo o prejuízo na opção porém “entendendo” que a valorização do papel também é considerada lucro.

Vamos para as contas.

As operações foram basicamente

Compra de 1000 BBDC4 por R$ 36,30, venda da opção com strike de R$ 36,61 por R$ 1,03 e recompra da opção por R$ 2,00 (ação fechou o dia valendo R$ 38,04).

Compra de 3000 CMIG4 por R$ 14,45, venda da opção com strike de R$ 14,45 por R$ 0,31 e recompra da opção por R$ 0,42 (ação fechou o dia valendo R$ 15,15).

Compra de 2500 CMIG4 por R$ 14,50 venda da opção com strike de R$ 15,05 por R$ 0,30 e recompra da opção por R$ 0,16 (ação fechou o dia valendo R$ 15,15).

Resumindo:

A primeira operação deu um prejuízo de R$ 0,93 (-2,6%) por ação na venda/recompra da opção e lucro de R$ 0,77 (+2,1%) no final da operação.

A segunda operação deu um prejuízo de R$ 0,05 (-0,3%) por ação na venda/recompra da opção e lucro de R$ 0,65 (+4,5%) no final da operação.

A terceira operação deu um lucro de R$ 0,14 (+1,0%) por ação na venda/recompra da opção e lucro de R$ 0,79 (+5,4%) no final da operação.

No final das contas tive 4,1% de lucro bruto nas operações ou 3,5% liquido pois pagaria 15% sobre o lucro se eu vendesse todas as ações segunda feira porém devo vender apenas R$ 20.000,00 para “lavar o dinheiro” sem pagar IR além de poder abater o “prejuízo” das opções em meses futuros.

É isso, um ótimo resultado para compensar o péssimo mês anterior.

Fechamento Junho 2019: R$ 174.804,94 (+R$ 6.548,80 ou + 3,89%)

Junho chegou ao fim, foi um mês legal financeiramente, conseguimos aumentar acima da famosa meta dos 2% ao mês porém nada em especial para comentar sobre o mês… finalmente terminei de ler o livro “Sapiens: Uma Breve História da Humanidade”, pensa em um livro grande… ainda assim achei muito interessante… meu recorde pessoal de livros está para ser batido (acho que foram 3, em um dos anos da faculdade tiver que ler “O monge e o executivo” para uma matéria de sociologia e acabei lendo os outros 2 livros da série).

Lançamentos de junho já realizados, lançamentos “OK” após ser exercido fica “fácil” conseguir prêmios interessantes (lembra da famosa meta de 2%?) e devo seguir com a estratégia…

A “alta” variação mensal foi devido ao adiantamento do décimo terceiro e os prêmios dos lançamentos de opções realizados.


Estive pensando sobre o gráfico que compara minha “renda passiva” e meus custos “básicos” porém a duvida seria, o que é uma despesa “básica”? tirando moradia os custos com alimentação/saúde são basicamente pagos via benefícios do meu atual trabalho, devo refletir mais um pouco para gerar essa visão.

A famosa transferência de custódia

Estou decidido a trocar de corretora (novamente) para não pagar a taxa de corretagem abusiva (em minha opinião) de 0,5% sobre o valor da nota (qual a lógica disso?) caso seja minhas opções sejam exercidas.

Para isso, tenho enfrentado uma batalha para conseguir informações. A transferência de ativos padrão (ações ON e PN) é simples, a dúvida vem quando preciso transferir ativos um tanto quanto diferentes como nossas queridas opções.

Procurando na internet não encontrei nenhum vídeo então a forma mais correta de buscar essa informação foi entrar em contato direto com a nova corretora para verificar se eles conseguiam sanar essas dúvidas.

A primeira tentativa foi via chat e como sempre explicar esse tipo de coisa por texto é um desafio enorme que não consegui ter sucesso fiquei certa de 20 minutos explicando que possuía 1000 papeis de bbdc4 e estava vendido em 1000 calls de bbdc4 ou seja possuía -1000 papeis. Sem sucesso, recebia mais perguntas que respostas foi aí que decidi ligar na corretora para explicar por voz e dessa vez pareceu mais fácil em dois minutos consegui a informação que para opções de venda deveria utilizar o “tipo” de ativo OPC (no caso de opções de vendas, as famosas PUT, seria tipo OPV).

Vamos ao preenchimento da folha de transferência (estou usando o modelo disponibilizado pela clear) que é “padrão”.

Precisamos preencher a parte relacionada ao nosso cadastro como nome, código das corretoras, corretora de saída e nova corretora e os dados do ativo no meu caso ficaria algo como:

É isso, com a folha preenchida, basta reconhecer firma por autenticidade da assinatura e enviar via correio para o endereço sua corretora atual… sim!!! estamos em 2019, todas as transações podem ser feitas online porém para transferir os ativos de uma corretora para outra você precisa enviar uma carta. Talvez a ideia seja dificultar o processo, algo parecido com o que bancos fazem para cancelar contas onde você precisa ir até a agencia para assinar uma folha de papel…

Consolidação da estratégia de opções 2019-05

Um dos piores exercícios que já tive, alguns dos fatores como a alteração da “regra do jogo” sobre corretagem do exercício prevista e a pela falta de atenção ao mercado acabaram com a minha rentabilidade.

Sem mais, vamos ao resultado do exercício das opções lançadas.

Resumidamente:

Valor Investido R$ 119.000,00
Lucro Bruto R$ 2.050,00 (1,72%)
Corretagem R$ 620,00 (30,24%)
Resultado final: R$ 689,00 (0,57%)

Se não tivesse sido adicionada essa tal corretagem de 0,5% sobre o total da nota no exercício das opções, ficaríamos abaixo da meta porém com retorno satisfatório de algo em torno de  R$ 1.750,00 (1,47%).

Vida que segue… para o próximo exercício já calculei os retornos contando com a taxa de 0,5% e devo estar mais atento próximo ao vencimento.

Eu não sei apurar os impostos das minhas operações! 4

A saga continua, de tempos em tempos eu aprendo novas lições dentro das regras do mercado de opções.

Nunca entendi muito bem a motivação de alguns lançadores de opção recomprar antes do vencimento por exemplo, call lançada por R$ 0,30 e recomprada por R$ 0,12. (vejo muitos tweets do lambari da bolsa). Porém agora tenho razões racionais para “zerar manualmente” a operação.

Como já comentei anteriormente, estive migrando de corretora para tentar utilizar os consultores porém não achei de grande utilidade e estou voltando para a corretora que faz a propaganda da taxa 0.

Porém como não existe almoço grátis e existem várias e várias formas de criarem “taxas de serviço” como a famosa “zeragem compulsória” em 06/05/2019 passamos a ter taxas de corretagem para EXERCÍCIO de opções como podemos ver na imagem a seguir.

Sim… mandaram um push no broker e pronto.. simples né?

E agora a imagem completa da famosa “taxa 0”.

É isso, mais uma lição aprendida… não deixar meus lançamentos serem exercido.

obs: Confesso que por falta de atenção de minha parte acabei pagando 0,5% sobre o total da nota e o meu lucro liquido caiu de 0,9% para -0,2%.

Fechamento Maio 2019: R$ 168.256,14 (+R$ 39.327,12 ou + 30,50%)

Mais um fechamento, é meu primeiro fechamento após maio (famoso mês das quedas da bolsa) e começo já explicando que a diferença entre o fechamento de abril foi a venda do carro, acabei quitando uma viagem que tenho em julho e parte de uma divida que tinha com meu pai porém o restante foi direto para opçōes hehehe.

Falando sobre os lançamentos de maio, um mês muito estranho, onde a bolsa caiu forte e esperou que eu realizasse meus lançamentos para voltar a subir. Ainda assim foi um mês interessante financeiramente.

Pensando seriamente em rolar as opções para julho.. preciso fazer algumas contas mas acredito que a valorização dos papeis pagaria a recompra das opções.

despesas meio irreais, como comentei no ultimo fechamento, preciso gerar um “despesas fixas” pois nesses 12k de despesas só de viagem tem cerca de 7k

Um pássaro na mão ou dois voando?

Pequeno post para “desabafar”.

Minha estratégia é nos primeiros dias após o vencimento da opção, lançar uma nova (caso não tenha sido exercido) não observando tendencias nem noticias, apenas tentar “garantir” a rentabilidade do mês seguinte abrindo mão de altas do papel pois para garantir prêmios tenho que trabalhar bem próximo “do dinheiro”. Como faço os lançamentos no começo, fico observando os papeis para eventuais recompras.

Em 22/05/2019 vendi calls de itsa4. Vendi a itsaf127 por R$ 0,14. A ação estava por volta de R$ 11,50 e o strike da itsaf127 é R$ 11,98.

Ou seja existia uma margem de R$ 0,40. E gosto da ideia de vender tentando defender o preço médio da aquisição que atualmente é R$ 12,05 porém sempre tentando preços não muito fora do dinheiro para não abrir mão do prêmio.

Hoje 29/05/2019 a itsa4 está nesse momento (10:38) valendo R$ 11,94. E o premio atual é de R$ 0,25.

E aí?
Fui muito apressado ou foi melhor “garantir” 1,2%?