O sonho de morar em outro país

Sabe aquele sonho que as pessoas tem em morar em outro país? tipo na Europa (sei que é um continente pessoal, só estou resumindo hehe), Austrália, USA? então.. eu não tenho… pelo menos não hoje…

Tudo começou em julho de 2017, quando fui demitido pela primeira vez na vida. Na minha opinião a demissão foi algo “injusto” pois não houve um motivo, apenas um comunicado, acredito que tenha sido algo “pessoal” porém não entremos nesse mérito. Após a demissão fui trabalhar em São Paulo como consultor, eu estava namorando fazia um ano e me propus a voltar todo final de semana, até aí sem problemas e para aproveitar minha vida em São Paulo, tratei morar em um ótimo local, era uma cobertura com churrasqueira, mesa de sinuca, no meio da vila olímpia, preciso dizer mais algo?

Fiquei 9 meses atuando como consultor vivendo meu melhor momento profissional (R$ e oportunidades) quando recebi um contato para uma das maiores (se não a maior) empresa de tecnologia de Campinas, era a oportunidade perfeita para eu voltar para campinas, ganhando mais e com qualidade de vida maior que a que eu estava levando em São Paulo. Resumidamente aceitei a proposta e uma semana depois estava em Campinas alugando um apartamento mobiliado (nunca aluguem apartamentos mobiliados, é muito mais caro) e chamando minha namorada para morar comigo (sim.. talvez tenha me precipitado… brincadeira, ela é a melhor mulher que conheci na vida).

Enquanto estive em São Paulo, mantive contato com um grande amigo que havia aceitado uma proposta para atuar como consultor em Lisboa e vivia me falando que eles tinham muitas vagas e que ele me indicaria em algum momento. Dito e feito, esse mês duas consultorias entraram em contato e marcaram a entrevista com o responsável pela parte de hiring dentro da consultoria. Aparentemente fui aprovado nas duas, e essa semana agradeci o contato e recusei a continuidade do processo pois não tenho intensão de sair do pais nesse momento, claro que a ideia de morar na Europa e viver uma cultura diferente, com um povo educado (é o que dizem…), segurança e outras coisas básicas que não temos aqui no brasil foi algo que tirou alguns momentos de sono, porém minha vida atualmente é boa, tanto profissional quanto pessoal.

Fiz questão também de ser o mais transparente possível com as consultorias e deixei no ar que futuramente poderíamos voltar a negociar algo.

Financeiramente a proposta não traria grande diferença em minha vida, pesquisando constatei que os custos eram proporcionais, por exemplo eu gastaria 30% do salário em Lisboa com moradia, hoje eu gasto 30% do meu salário com moradia.

Bom, é isso.. apenas um post para registrar essa situação para que no futuro eu tenha um momento para avaliar se tomei a decisão certa ou não.

Primeiro exercício do blog e comparação entre financiar / alugar

Olá a todos, segurei os últimos posts pois o blog estava virando um diário porém a data de amanhã (ou hoje pois já é 1:26) é um momento interessante dentro do blog, faremos nosso primeiro acompanhamento do exercício.

Continuamos com o dilema de data de fechamento, talvez dia 1 de cada mês seja o mais comum, porém essa data ocorre no “meio” da duração do exercício das opções, então talvez façamos sempre após os exercícios que é quando poderemos calcular o quanto a estratégia rendeu e o quanto a próxima estratégia irá render.

Para não deixar o post tão vazio, vamos expor aqui um ponto que tenho pensado nos últimos dias que é a aquisição de um imóvel. Muitos dizem que financeiramente não faz sentido adquirir um imóvel principalmente pelo ponto de vista de liquidez, tenho que concordar que alocar R$ 500.000,00 em algo é uma decisão importante principalmente se isso for algo que “congele” seu dinheiro por anos.

Estive exercitando o seguinte cenário, aquisição de um imóvel na planta no valor de R$ 450.000,00 porém me lembrei que durante a construção seria necessário realizar os pagamentos da entrada que normalmente é 30% e pagar o aluguel do local onde estiver morando, algo que inviabiliza tudo. Então decidi avaliar outro cenário, realizar a compra de imóveis recém entregues, os famosos “ULTIMAS UNIDADES!!!” ou para nós pessoas que gostamos de fazer cálculos sobre investimentos são as “UNIDADES ENROSCADAS”. Durante a visita ao empreendimento que iniciaria a construção em janeiro de 2019, comentei essa situação e fui apresentado a outro empreedimento, que já foi entregue a um ano que contem algumas unidades disponíveis. Vamos aos dados.

O valor do imóvel também é de R$ 450.000,00 porém existe a possibilidade de “mudança imediata”, portanto poderia usar o valor pago de aluguel atualmente como “parte da parcela” ou fazer o contrário? que seria usar a parcela do financiamento para pagar o aluguel e aplicar o restante?

Vamos para o excel!

obs1: Tentei fazer algumas correções como IGPM que iria influencia no preço do imóvel e posteriormente no aluguel, porém a inflação TEORICAMENTE iria corrigir tudo, salário, imóvel, aluguel…

obs2: Essa coluna “sobra financ” seria diferença entre o aluguel e a parcela do financiamento, podem desconsiderar, ela não está sendo utilizada.

obs3: O aporte (coluna correção sobra) inicialmente é calculara pela diferença (ou seja, pela sobra) entre a parcela do financiamento e o aluguel, porém quanto atingimos menos que 1500 o valor é travado pois não faz sentido diminuir o aporte ao longo do tempo.

clique nas imagens para ampliar

Em 175 meses capital para comprar o imóvel (corrigido pela igpm) seria atingido.

Agora vamos melhorar nossa taxa de rendimento mensal só um pouquinho, 1%.

clique nas imagens para ampliar

pronto, melhorou para 118 meses.

É isso… para mim HOJE não faz sentido comprar um imóvel, quem sabe mais para frente o lado emocional tenha seu peso.

Eleição 2018 – Primeiro Turno

O que dizer sobre ter que escolher entre Bolsonaro e Lula, ops quer dizer Haddad… complicado né?

Acredito que o mercado ja tenha precificado e amanhã a bolsa apenas realize seu lucro, por outro lado, Bolsonaro (candidato do mercado no momento) teve uma votação melhor que a apontada nas pesquisas e isso pode aumentar um pouco mais a euforia do mercado…

Sobre meu investimento preferido dos últimos 3 meses, as opções, seria melhor que as ações caíssem, assim poderia comprar mais e abaixar meu preço medio, então Haddad seria melhor para minha estratégia pois em seguida ocorreria uma baixa expectativa e provavelmente vendas na bolsa. Por outro lado, mais 4 anos de governos do PT seria algo estranho… talvez um pouco de liberalismo (tenho minhas duvidas no Bolsonaro) com toda certeza seria a melhor opção para o Brasil.

No mais, o que mais importante aconteceu nesse primeiro turno foi a entrada de candidatos do partido novo, cujos ideais me atraem.

Sem palavras para o povo de MG que tem um candidato fantástico na briga pelo governo. Parabéns!
Sobre minha carteira, estou olhando com bons olhos a inclusão do FGTS, seria isso “roubar”? O dinheiro está lá, está rendendo, um dia irei retirar, porém não tenho poder de escolha sobre ele… até o próximo fechamento devo decidir e confesso que estou bem propenso a adicionar…

A ideia do saldo zero ou sobra zero

Um post rápido apenas para registrar um conceito que não aplicava em minhas planilhas de controle de gasto, estamos falando de fechar o mês com saldo ZERO.

mas… o que isso significa?

Simples… isso significa que toda renda deve ser alocada em alguma categoria dentro do seu controle de custos, seja para educação, lazer ou (e principalmente) investimentos.

Seguindo essa ideia, manterei o valor de aporte em R$ 1.000,00 e utilizarei o saldo para criação da minha reserva financeira (que pretendo utilizar para oportunidades mais que como reserva) e assim conseguir criar um controle com saldo zero.

Segue imagem de como está meu orçamento para os últimos meses do ano:

Com a ideia do saldo 0 podemos dizer que o % de investimentos é de 32%

A Primeira Meta

Minha primeira meta será o custo de vida que tenho hoje porém vindo dos meus ativos.

Hoje moro com minha namorada e dividimos as despesas de uma forma que consideramos justa, portanto meu custo de vida está em torno de R$ 4.000,00. Partindo do principio que a rentabilidade desejada é de 1% ao mês, isso nos da um ativo necessário de R$ 400.000,00.

Como hoje possuo R$ 102.000,00 (estou pensando se adiciono o FGTS nessa conta) fazendo aportes de R$ 1.000,00 e minhas aplicações rendendo 1% ao mês precisarei de 91 meses, acho que podemos arredondar para 90 meses ou seja 7,5 anos.

Meta será atingida em (01/05/2026)


Provavelmente outros aportes serão feitos e minha rentabilidade irá variar (espero que para cima) durante essa caminhada por isso se atingir a meta antes inicio uma nova meta.

Gostaria também de aqui fazer minha homenagem ao Viver de Renda, alguns anos atrás que encontrei esse blog e passei e acompanhar seus fechamentos mensais e suas ideias.

O primeiro teste de ganância

No primeiro post falei sobre a tal da ganância, que ela seria uma grande variável na execução da nossa estratégia de operação de taxa (venda de calls, sempre coberto, normalmente OTM).

No primeiro dia do ciclo J vendi calls das seguintes opções:

BBDCJ87 com strike de R$ 29,45 pelo prêmio de R$ 1,18. Como o PM das minhas BBDC4 era de R$ 28,49 a margem do prêmio ficou em 4,1% e caso fosse exercido a margem seria calculada pela seguinte formula (PM – Prêmio) / strike ou seja 7,5%.

CMIGJ7 com strike de R$ 7,05 pelo prêmio de R$ 0,40. Como o PM das minhas CMIG4 era de R$ 6,99 a margem do prêmio ficou em 5,7% e caso fosse exercido a margem seria 6,6%.

Resumindo, se não fosse exercido minha carteira rentabilizaria 4,9% e se fosse exercido minha carteira teria valorizaria 7,1%.

Quem não ficaria feliz com as taxas calculadas em um mês?

Em 01/10/2018 o Instituto Datafolha soltou uma pesquisa mostrando crescimento de Bolsonaro na disputa da presidência da republica. Pronto, foi suficiente para a bolsa “explodir” com dois dias seguidos de altas na casa dos 4% e meus dois papeis subindo na casa de 6% por dia nos últimos dois dias…

Avaliando as duas altas da bolsa e o preço de fechamento de hoje, podemos concluir que estou “deixando de ganhar” para BBDC4 em R$ 31,36 cerca de 10,1% e CMIG4 em R$ 7,89 cerca de 12,9% devido a suas valorizações.

Para concluir, comparando as margens “garantidas” e as margens que “deixei de ganhar” podemos ver uma diferença de 2,6% que significa 34% a mais em BBDC$ e 6,3% que significa 95,7% em CMIG4.

A vontade de desfazer a operação para tentar surfar nessa alta é grande porém acredito na velha historia do “melhor um passarinho na mão que dois voando”. Fiquemos felizes com a taxa planejada inicialmente e deixemos que todos “ganhem um pouco”.

Meu primeiro trade de bitcoin… e ultimo…

Para criar o hábito de escrever no blog e começar a realizar meus fechamentos financeiros com mais comprometimento, irei escrever também sobre algumas experiencias como no dia que comprei bitcoin e ganhei 10% em um dia.

Exato… ganhei 10% em um dia, na verdade menos de 24 horas… e quando penso nisso logo me vem a pergunta, por que eu não vendi meu carro e comprei de bitcoin? e a resposta também surge logo em seguida… nunca invista em algo que NÃO gera valor pois isso em meu ponto de vista, não se trata de investimentos (contraditório né?) e sim de especulação.

A minha definição das duas palavras é a seguinte:

Investimento: é o ato de aplicar algo em algo, por exemplo, aplicar dinheiro em uma empresa para que a mesma produza mais e lhe proporcione um retorno.

Especulação: é o ato causado pelo interesse na variação positiva ou negativa de algo para ganho e não para “utilização” do mesmo.

Vejam que o bitcoin hoje em dia não é utilizado/aceito em muitas opções nem por sua vez gera valor pois o mesmo não produz valor, ele apenas varia devido a grande especulação (ideia de que no futuro o mesmo seja utilizado no lugar do dinheiro de hoje em dia) e por isso proporciona lucro/prejuízo aos envolvidos.
Vamos a minha experiencia agora, entrei no dia 05 de dezembro, com a btc valendo algo em torno de 44k e vendi no dia 06 de dezembro, com a btc valendo algo em torno de 48k quase 10% de variação em menos de 24h.
seta vermelha = compra
seta verde = venda
seta azul = o ápice da btc, quase 100% em 10 dias
Podemos comparar btc com ações? de certa forma sim, a diferença é que por trás de uma ação existe TEORICAMENTE uma empresa que está gerando valor através de serviços e produtos, por isso é algo mais “palpável” que uma moeda digital, concordam?

O começo

Tudo começou por volta dos meus 18 anos, atualmente estou com 26, havia concluído o ensino médio e a preocupação por não ter levado a sério o colégio começou a ser assunto de meus pensamentos.

Como fiz colégio técnico na área de tecnologia, a falta de emprego nunca foi um problema, porém precisava subir o próximo degrau que era a graduação.

Decidi que não havia me preparado o suficiente para uma faculdade publica e como morava em Campinas-SP haviam algumas opções de faculdade:

Faculdade A – A mais bem conceituada da região, custava R$ 1.175,00
Faculdade B – Não tão conceituada porém seria a intermediaria, custava R$ 700,00
Faculdade C – A menos conceituada, custava R$ 400,00

Como todo jovem eu queria fazer faculdade na mais “top” e conhecida da região, por isso comecei a fazer meus cálculos (área de exatas sempre) de como pagar R$ 1.175,00 recebendo algo por volta de R$ 800,00 por mês de salário.

Não lembro como descobri o financiamento estudantil (FIES), mas imagino que foi pela internet. Resumindo, fui atrás de informações, efetuei o cadastro e consegui o financiamento.

O financiamento inicia durante o primeiro semestre e enquanto isso precisava pagar as mensalidades, poderia recorrer a minha familia porém o custo beneficio não era bom, ter que ouvir da familia coisas como “voce só quer fazer essa faculdade porque é a mais cara, faça a que você consegue pagar, bla bla bla…”. Em algum momento cheguei no numero mágico, precisava de 6 mensalidades ou R$ 7.050,00 e faltavam algo como 3 meses para o inicio das mensalidades (aulas) então se eu poupasse 100% do meu salário (já que eu morava com meus pais era algo possível) eu teria R$ 3.200,00 (3 meses de salário + décimo terceiro) em Janeiro e conseguiria essa reserva para complementar meu salário e pagar a mensalidade (recebia 800, tirava 400 dessa reserva e pagava a mensalidade).

Durante esse primeiro semestre minha vida foi essa, quando saiu o financiamento um peso das minhas costas foi tirado, recebi o reembolso pelo semestre pago, algo em torno de R$ 7.050,00.

Para ajudar (Deus ajuda quem cedo madruga, lembra?) minha avó queria que me dar R$ 500,00 por mês para ajudar na faculdade porém meu pai (conservador e de certa forma “antigo”) disse que ele iria administrar esse dinheiro e colocaria em uma poupança desde que eu me comprometesse a colocar R$ 500,00 por mês também, assim quando terminasse a faculdade o valor financiado estaria ali, na poupança.

Em algum momento comecei a calcular os juros que pagaria pelo FIES (maravilhosos 3,6% ao ano) e com o dinheiro parado na poupança rendendo algo proximo a 6% ao ano ficava tranquilo pois como o juros era quase o dobro.

E foi assim, por 3 anos, quando comecei a estudar sobre educação financeira (frequento um forum chamado HARDMOB, lá existe uma sessão sobre dinheiro muito boa) e procurar sobre investimentos, a selic estava na faixa de 11% e acabei dando o primeiro passo, a RF (renda fixa) com títulos de de LCI e LCA que pagavam algo próximo a 100% do CDI (alo Hardmob, alo Daycoval, muito obrigado).

E pronto! meu dinheiro ao invés de render o dobro do financiamento agora rendia o triplo. Meu unico arrependimento é não ter procurado tal tipo de conhecimento já no começo da faculdade, conforme tabela abaixo, um comparativo de rendimentos que tive/que teria se tivesse aplicado em renda fixa desde o primeiro momento.

Abaixo uma tabela da evolução do patrimônio com aportes durante o período da faculdade (2011-2014).

 Comparação entre poupança e LCA 2011-2017
Diferença anual entre poupança e LCI/LCA 2011-2017

É isso, esse foi o começo do meu interesse sobre educação financeira e investimentos, como a maioria das coisas na vida, uma dificuldade trouxe a evolução.

Começando pelo meio…

Começando pelo meio

Ao invés de começar com o dia que eu saí da poupança, o primeiro post será sobre o investimento que atualmente estou estudando, que é o mercado de opções.

Para quem não conhece opção, poderíamos explica que funciona como se fosse um contrato, esse contrato garante o direito ou o dever de algo. Nesse post falarei sobre uma estratégia que estou estudando e comecei a realizar conhecida como operação de taxa.

Basicamente a ideia é rentabilizar a carteira de ações vendendo opções de call de empresas consideradas blue chips que tenham liquidez de opções.

O exemplo a seguir utiliza ações do Bradesco.
Vamos utilizar a cotação do momento da escrita do post (11:35 27/09/2018) para realizar os cálculos.

Para montar a estratégia, precisamos comprar ações bbdc4 e realizar a venda das opções BBDCJ87.
Vamos para a matematica.

Compra 100 ações BBDC4 pagando R$ 29,13 por ação irá gerar um débito de R$ 2.913,00.
Venda de 100 opções BBDCJ87 com strike de R$ 29,45 por R$ 0,80 por ação irá gerar um crédito de R$ 80,00 (2,7% do valor investido).

Vamos para os possíveis cenários para o fechamento (terceira segunda feira do mês).

Queda do valor da ação ou manutenção do valor da ação abaixo do strike (R$ 29,45)
As opções provavelmente não serão exercidas, o papel continua na carteira e vendemos novamente opções para o vencimento seguinte.

Aumento do valor da ação acima do strike (R$ 29,45)
As opções provavelmente serão exercidas e entregaremos os papeis, teremos um ganho de R$ 0,32 por papel, ou seja R$ 32,00 (1,1% do valor investido).

Resumindo os cenários, podemos ter ganhos entre 2,7% e 3,8% durante essa operação. Valor muito interessante né?

Os riscos

No meu ponto de vista, existem dois riscos (um eu chamaria de risco da ganância).

O primeiro eu chamaria de risco da ganância que é quando o papel valoriza acima do strike combinado, com isso deixaríamos de ganhar essa diferença, por exemplo, o papel sobe para R$ 30,00 e deixamos de ganhar a diferença entre R$ 29,45 e R$ 30,00 ou seja R$ 0,55 por ação.

O segundo seria o papel desvalorizar, isso afetaria o nosso capital investido por exemplo, investimos R$ 2.913,00 em 100 ações que agora valem R$ 2.880,00 pois as ações BBDC4 caíram de R$ 29,13 para R$ 28,80. Por outro lado continuamos com 100 ações, podendo vender novamente opções e rentabilizar novamente a nossa carteira.

OBS: Todas as taxas são valores brutos, sem abater o imposto de renda e taxas para aquisição e venda de ações e opções.